página inicial | notícias | promoções

elenco - Roberto Gomez Bolaños

 

Ficha técnica

Nome Completo: Roberto Gómes Bolaños
Apelido: Chespirito
Nasceu em: Cidade do México, México
Data: 21 de fevereiro de 1929

Faleceu em: 28 de novembro de 2014, aos 85 anos
Personagens: Chaves, Chapolin, Dr. Chapatin, Pancada, Chaveco e muitos outros



Biografia

Escritor, publicitário, desenhista, compositor de músicas e letras de canções populares, ator, diretor, produtor e pai de 6 filhos. Chespirito é uma forma "castelhanizada" do vocábulo inglês Shakespeare. Tal apelido foi posto nele pelo diretor de cinema Agustín Delgado, que considerava Roberto Gómez Bolaños um pequeno Shakespeare (estatura de Bolaños: 1,60m).

Roberto Gómez Bolaños "Chespirito" estudou engenharia, mas nunca exerceu a profissão. Milhões de pessoas durante quatro gerações se somam em uma única voz para agradecer a Chespirito, que deixou a eletricidade e a mecânica de lado (ainda que também seja algo criativo) para se dedicar a divertir milhões de pessoas. Assim então, Chespirito se iniciou como publicitário na empresa publicitária D'Arcy, quando tinha 22 anos.

A partir da segunda metade da década de 50, a atividade de Gómez Bolaños como roteirista foi muito intensa. Escreveu para rádios, programas de TV e para o cinema. Durante 10 anos alimentou com seus roteiros o programa semanal "Cómicos y canciones", que fez muito sucesso. Entre 1960 e 1965, dois programas disputavam o primeiro e segundo lugar da TV mexicana, e ele escrevia ambos. Eles eram: "Estudio de Pedro Vargas" e o já mencionado "Cómicos y canciones".

No final de 1968, Gomez Bolaños foi contratado pela emissora TIM com a feliz oferta de usar em sua programação um espaço de meia hora em cada sábado. Assim, nasceram séries como "Los supergenios de la mesa cuadrada" e "El ciudadano Gómez". Simultaneamente, nascia a carreira de ator para Chespirito.

Em 1970, a TV estendeu o tempo de transmissão para uma hora e o horário utilizado passou a ser às segundas-feiras, às 20h. Então, a série passou a se chamar Chespirito, onde se incluíam diferentes quadros, onde nasceram nesse espaço o personagem Chapolin Colorado e um ano depois o Chaves do Oito. Ambos personagens tiveram tal aceitação, que a emissora decidiu dar-lhes características de seriado com um dia da semana para cada um, com meia hora de transmissão e em horário nobre.

O Chapolin Colorado e o Chaves abriram as portas do mercado internacional à TV mexicana. Em 1973, ambos os programas eram transmitidos para quase toda a América Latina, e em todos os países sua popularidade colocavam-os em primeiro lugar na audiência. Por exemplo, em 1975, os níveis de audiência das séries de Chespirito no México oscilavam entre 55 e 60 pontos no ranking. A partir de 1984, o programa voltou a ter uma hora de duração às segundas-feiras, às 20h , com o nome de Chespirito. Nessa época, Chespirito já era um sucesso, e assim seguiu sendo. Por 25 anos sem parar, todas as segundas-feiras, às 20h, Chespirito estava em quase todos os lares mexicanos.

Atualmente, a série segue sendo transmitida em toda a América Latina e na Espanha, com seu áudio original, mas também é transmitida em diferentes dublagens em outros idiomas em mais de dez países.

Em 1978, Roberto Gómez Bolaños "Chespirito" produziu, escreveu e atuou no filme El Chanfle, que rompeu todos os recordes de bilheteria existentes até essa data no México.

Bolaños também escreveu roteiros para cinema e telenovelas, assim como uma comédia musical chamada Títere. Tem ainda em seu arquivo teatral mais seis obras.

 

Em novembro de 2004 se casou oficialmente com Florinda Meza, com que já vivia há 27 anos. Os dois moraram em Cancún até a morte do ator, em 2014. A escolha de viver em uma cidade litorânea era por conta da fragilidade da saúde de Bolaños, já que ao nível do mar há mais ar para respirar.

 

Desde 2009, Chespirito foi internado algumas vezes mas sempre retornava para casa, para alegria dos fãs. Em 2011 abriu uma conta no Twitter e chegou a mais de 200 mil seguidores em menos de 24 horas. Pela rede social, ele informava sobre seu dia a dia e constantemente se comunicava com fãs.

 

Em 2012, foi realizado o evento América Celebra a Chespirito em comemoração aos 40 anos de carreira do ator. Dezessete países participaram da homenagem, entre eles Brasil, Argentina, Colômbia e Estados Unidos.

 

Em 28 de novembro de 2014 a notícia da morte de Bolaños chocou a América Latina. Ele faleceu em sua casa em Cancún e recebeu milhares de homenagens dos fãs e admiradores do seu trabalho. O velório aberto ao público realizado no estádio Azteca, na Cidade do México, reuniu milhares de pessoas, que deram seu último adeus a Chespirito. Ele foi enterrado no cemitério Panteon Francés.