página inicial | notícias | promoções

notícias

Carlos Villagrán diz que pode fazer filme no Brasil

Sábado, 11 de julho de 2015


Por Felipe Ernesto

Redação Vila do Chaves

 

De volta ao Peru, onde vai se apresentar novamente com seu circo, o ator Carlos Villagrán, o Kiko, disse que pode fazer um filme no Brasil no final do ano. “Farei até um curso de português”, afirmou. Confira a entrevista com o Kiko concedida à imprensa peruana:

Não veremos você em julho de 2016 se despedindo de outro distrito de Lima?


Já venho me despedindo do Peru todos os anos. Mas eu amor esse país, adoro-o, me sinto melhor que em minha casa, porque me gostam muito de mim e meu trabalho é fazer as pessoas rirem. Mas este será o último ano. E vamos a partir de 24 de julho no Metro de San Juan de Lurigancho.

Esse ano, uma vez mais, coincidirá com Maria Antonieta de las Nieves, a Chiquinha, que também apresenta seu circo no Peru.


Sim, mas eu não me junto com essa gentalha (risos). Nós temos uma boa relação. Quando nos encontramos, nos saudamos, o companheirismo existirá sempre e, pese a distância, sempre falamos.

Ficou incomodado que, após a morte de Chespirito, ela trouxe à tona novamente o romance que você teve com Florinda Meza?


Não. Cada um é responsável pelas palavras que diz. Eu sei quem sou e não me incomodou nada. Se ela acreditou ser conveniente falar essas coisas, é livre. Minha esposa também não se incomodou.

O que sente quando vê seu personagem na TV?


Começo a rir como louco e digo ‘caramba, que loucuras bem feitas’.

Por que o público sempre volta a rir com o Chaves?


Porque é o programa mais são que foi feito na história do México. Ali não nos vestimos de mulher, nem aparecíamos bêbados. Como te digo, são loucuras bem feitas.

O que vem após sua despedida?


Do Peru vou ao Paraguai, país ao qual regressarei depois de 35 anos e logo estarei na Argentina. Para o final do ano, devo estar no Brasil, onde tenho proposta para participar de um filme como protagonista, mas como Carlos Villagrán, não como Kiko, fazendo o diretor de uma escola. Meu primeiro filme foi “El Chanfle”, em 1978, assim que essa possível volta ao cinema me deixa entusiasmado. Farei até um curso de português.

Você leu o livro de Rubén Aguirre, o Professor Girafales?


Não, não sabia que tinha feito um livro. Só que teve problemas com a Associação Nacional de Atores do México e que estava um pouco mal de saúde. Oxalá esteja melhor.

 

 

Créditos pela notícia: Fórum Chaves